Fórum Debate Violência Contra Mulher, Criança e Idoso

por Alessandra Amantea publicado 29/11/2019 16h30, última modificação 29/11/2019 16h28
Fórum Debate Violência Contra Mulher, Criança e Idoso

Delegada da DEAM de Cabo Frio

No dia 25 de Novembro - Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher - a Comissão de Defesa da Mulher, Criança, Adolescente, Juventude e Idoso da Câmara Municipal de Búzios realizou o 1º Fórum Municipal para tratar da violência contra mulheres, idosos e crianças. “É difícil a discussão sobre violência, mas a gente precisa quebrar tabus e discutir o tema.”, iniciou o presidente da Comissão Niltinho de Beloca.

A presidente do Legislativo Joice Costa também esteve presente e falou da importância dos dados estatísticos para se fazer políticas públicas. “Búzios não tem uma estatística da violência contra a criança, o idoso e a mulher”.

Segundo a delegada da DEAM Carla Tavares, mesmo em Cabo Frio, onde há a Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher 24 horas, existe uma subnotificação da violência contra mulher. Para ela, esse tipo de violência é fruto duma educação machista e se combate com a denúncia do agressor. “Quando eu falo de mulher vítima de violência, eu falo de família vítima de violência(…) Uma criança no seio de uma família violenta vai reproduzir essa violência. Então a gente não pode dizer que a violência contra a mulher atinge apenas a mulher.”

Dados apresentados no evento apontam que muitos casos de violência contra mulheres, idosos e crianças acontecem no próprio âmbito domiciliar. Dessa forma, a denúncia é muito importante. “Violência Doméstica não envolve apenas a polícia, mas toda a sociedade. (…) É importante romper o ciclo da violência desde o início, quando a violência é ainda verbal.”, acrescentou a delegada Carla.

A coordenadora do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) de Búzios Soraya Freire dos Santos falou sobre o fechamento do CEAM (Centro de Atendimento à Mulher), que atendia exclusivamente às mulheres vítimas de violência. O CEAM funcionou há 1 ano em Búzios, a partir de 2013.

“Não é porque o CEAM foi extinto, que não existe um serviço para atender mulheres vítimas de violência. Esse serviço já existia antes no Creas e voltou para lá. O Creas trabalha com violação de direitos: violência contra crianças, idosos e mulheres. ”, explicou Soraya. O motivo para o fechamento da CEAM, segundo a coordenadora, era a exposição das vítimas.

O Fórum contou com a presença dos membros da Comissão da Câmara Municipal, pertinente ao tema - Niltinho de Beloca (presidente), Dida Gabarito e Josué Pereira e da presidente do Legislativo Joice Costa. Também participaram a professora Débora Castells, a delegada Carla Tavares, a presidente da AMAB Silvia Aguiar, a presidente da Comissão do Direito da Criança e do Adolescente da OAB Ingrid Azevedo; a coordenadora da Campanha “Todas contra a Pedofilia” Érika Rodrigues, a presidente da Comissão Especial de Atendimento à Pessoa Idosa da OAB Thamiris Afonso Carvalho, a presidente da Comissão OAB/Mulher Ana Carino e a presidente da Apae de Búzios Elenice Martinet.

(Assista: https://www.youtube.com/watch?v=tZe5kWGsx68&t=11803s )

……………………………………………..
Disque 100- Disque Direitos Humanos
Disque 180- Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.